TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

domingo, 4 de agosto de 2013

ARTIGO - CONEXÃO ORIENTE - GOLPES

Fantastico este texto

Original postado em 
 http://conexaoarabe.blogspot.com.br/2013/07/alices-no-pais-das-maravilhas-das.html


Não são só os scammers Nigerianos que dão golpe pelo mundo
Esse artigo nos reporta a uma realidade nua e crua dos envolvimentos com os homens do Middle East

Atenção Pessoal - Não é de hoje que insisto na questão de evitar envolvimento
Leiam esse artigo  no original no link abaixo
 http://conexaoarabe.blogspot.com.br/2013/07/alices-no-pais-das-maravilhas-das.html




 Alices no País das Maravilhas das Arabias

O post não é para dar lição de moral em ninguém! É apenas uma constatação daquilo que venho observado e tomado conhecimento. O blog fará 02 (dois) anos em Agosto e a quantidade de casos de relacionamentos entre brasileiras e rapazes do Oriente Médio é gigante.

Desde que o blog entrou no ar, não tem um dia que eu não sequer que eu fique sem receber um email, ou mensagem inbox de meninas querendo saber mais sobre os árabes, turcos e afins. Muitas chegam cheias de dúvidas e medos e querem uma orientação. Outras chegam com estórias de arrepiar os cabelos! Sério!

Hoje com a popularização de redes sociais como o Facebook e sites de relacionamentos como Badoo e afins. Vem causando um fenômeno de relacionamentos inter-culturais que nascem no mundo virtual como jamais fora visto em solo brasileiro.

Quando eu comecei a me relacionar virtualmente com amigos das Arabias em 2007 em sites como Arabchat por exemplo. Me lembro que a coisa ainda era um grande mistério. Haviam poucos blogs de relacionamentos com árabes ou que falavam sobre isso. Os blogs eram Brasil e Egito, Barbinha nas Arabias e A Mulher no Islam. Estes blogs eram o que se tinha sobre o assunto em língua portuguesa.

 Estes blogs foram de grande ajuda, quando comecei a me relacionar em 2008, com Mahmoud. Um rapaz sírio que conheci no Arabchat e depois de 01 ano e 05 meses, e depois de muita pesquisa e conversa, fiz as malas e parti para Damasco a fim de conhecer o meu ex noivo.

Nesta época a figura das Alices nas Arabias ainda não existia. O termo Alice foi criado por blogueiras que falam de relacionamentos com homens europeus e especificamento com homens escandinavos. As blogueiras chamavam de Alices, mulheres que conheciam muito pouco dos países do seus príncipes nórdicos e pior sem conhecer os caras, sem falar a língua local ou até mesmo o básico ingreis. As Alices partiam do Brasil rumo as Zoropa para casar com gringo loiro e achando que tinham ganhado na Mega Sena.

Cerca de 05 anos mais tarde, o fenômeno das Alices migrou do frio europeu para o calor dos desertos das Arabias. Meninas que conhecem muito pouco ou quase nada sobre o mundo árabe e sua cultura, costumes e religião e acabam se ferrando de verde amarelo.

Não é nenhum crime sonhar casar com um sheikh árabe tipo o Hamdan da vida. Mas pior que isso é ser enganada, usada e roubada por árabes salafraios que só estão interessados em sexo, dinheiro e visto. Não necessariamente nesta ordem.

Se em 2007 haviam cerca de 03 blog que falavam de relacionamento entre brasileiras e árabes. Hoje deve ter pelo menos uns 1000. Alguns são bem conhecidos e aparecem fácil na pesquisa do Google e outros por não terem tantos acessos são mais difíceis de conhecer sua existência!

Não quero dizer que seja errado namorar um árabe e fazer um blog. O que eu quero chamar a atenção é que virou quase uma febre, uma epidemia. Mais de 90% destes relacionamentos começaram no mundo virtual. Quase que exclusivamente por conta da expansão do Facebook no Brasil nos últimos 02 anos.

Os árabes especialmente de países pobres, passam horas a fio na internet caçando uma vitima. Muitos são profissionais e chegam a ter vários perfis nas redes sociais, cheios de mulheres adicionadas. Mulheres estrangeiras ocidentais!
 Quando estes árabes acham uma presa, eles então fazem o papel de apaixonado, promete mundos e fundos. Dos profissionais é mais difícil perceber o golpe pois muitos chegam a vir no Brasil para conhecer a moça, a família dela e chegam mesmo até a casar. Casam de olho no visto de residência. Geralmente eles tem uma prometida ou mesmo esposa no seu país de origem. Muitas meninas caem nestes contos das Arabias e se decepcionam muito.

Claro que existem os casos que deram certo, e a moça é muito feliz com seu príncipe árabe. Mas grande parte dos casos é com final infeliz mesmo. Não só as meninas que não convivem com os árabes e muçulmanos se deixar levar por este canalhas. Meninas muçulmanas, especialmente as convertidas tem caído nos golpes pois muitas rejeitam os muçulmanos brasileiros e querem se casar somente com homem árabe e dai ficam sujeitas a encontrar um pilantras das Arabias.

As muçulmanas brasileiras de origem árabe sofrem bem menos com estes trastes pois geralmente se casam com primos e ou rapazes da comunidade islâmica que frequenta. Ou então a familia vai para o país de origem buscar um noivo. Mas mesmo assim não é garantia, quem não se lembra do caso da Nariman que teve que fugir do Líbano pra Síria por que o marido queria mata-la. Ela é brasileira e os pais foram buscar um marido no Líbano. Mas o cara era de má índole e violento.

Muita menina fica toda boba quando conhece um árabe e acha que vai casar com um príncipe. Mas na verdade o cara é um sapo. O cara pode fingir que é doce, romântico e fiel pela internet. Pode contar qualquer estorinha da Carochinha que se você não pesquisar vai acabar caindo na lábia dele.

Cuidado com propostas que não condizem com os costumes islâmicos. Tipo pedir pra você fazer sexo virtual, ficar na nua na web cam. Das duas uma: ou ele esta testando você ou ele é um tremendo de um safado que quer somente um pouco de diversão.

Sempre que disser ou ter propor algo, faça de conta que você é do mesmo pais que  ele. Pensando assim, pergunte a si mesmo se ele faria tal proposta ou falar coisas que ele não falaria para uma menina do país dele. Se ponha em igualdade, não permite que ele te trate como alguem que merece menos valor que uma mulher do país dele.

Também não fique desesperada atrás de árabe na internet. Se for pra acontecer, vai chegar até sua mão. Uma pessoa que fica fissurada em achar um árabe para chamar de seu, tem grande chances de se enrolar com um malandro e cair em golpe. Não tenha pressa! Se for seu destino vai acontecer! Também não acredite em todas as estórias de meninas que se casaram com árabes e estão felizes para caramba morando lá nas Arabias!

Tem que focar em achar um homem honesto, sincero e que te ame, independente de nacionalidade. Mas se está determinada em ter uma estória de amor das Arabias, pelo menos tome cuidado para não se machucar ou cair em ciladas.

Cuidado com homens que caem de paraquedas em seu Facebook e em uma semana já quer casar ou pior já pede carta-convite. Foge por que é fria. Se pedir dinheiro para visto, passagem ... é uma gelada! Se falar que é pra você ir para la em ficar em um flat sozinha com ele .... é uma nevasca! Tome cuidado com pessoas que você não conhece pessoalmente e nem tem os dados pessoais dele para verificar se ele tem passagem pela Policia, se é casado.

Árabes que morem no Brasil e não tem visto de residência, nem precisa falar pra ficar de olho. Muitos vem pra cá mas tem mulher e filhos lá nas Arabias. Eles querem é conseguir ficar aqui no Brasil e muitos usam as mulheres e depois descartam.

Então o recado que deixo é: não existem príncipes encantados .... muito menos nas Arabias! Não seja uma Alice! Cuidado! Desconfie! Todo cuidado é pouco!!

Salam Aleikum !!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTÁRIOS MODERADOS. Após a postagem, aguarde a aprovação. Não será garantia de ser aceito.